Livro Antigo



A Verdade sobre a Rebelião Mercenária

A Rebelião Mercenária teve início em 781, e foi reprimida em 782. O incidente começou supostamente
quando soldados mercenários consideraram que seus empregos estavam ameaçados pela produção das
tropas de Guardiões robóticos. Os detalhes específicos sobre a revolta dos mercenários e
como os Guardiões os combateram foram escondidos do público, resultando em muitos rumores
e especulações sobre o que realmente aconteceu. Atendendo aos pedidos de nossos leitores, vamos
narrar os eventos da Rebelião Mercenária nas próximas três edições.

Doutor Varmunt, o maior Sábio em toda a história, descobriu e conseguiu reproduzir
antigas máquinas inteligentes. O Laboratório Regenschirm, filiado à
Corporação Rekenber, financiava sua pesquisa. Quando a corporação revelou seus planos de desenvolver
esses robôs para aplicações militares, o Doutor Varmunt desligou-se profissionalmente
do laboratório, que teve que investir anos de experimentos falhos
para terminar o projeto sem a ajuda do Sábio.

A Regenschirm queria testar seus Guardiões robóticos em situações de batalha reais,
e por isso a Corporação Rekenber fez lobby com oficiais militares de alta patente,
inclusive com o comandante da Guarda Republicana. As tensões entre os mercenários
e os guardiões mecânicos começaram imediatamente quando os militares concordaram em posicionar
duas companhias de Guardiões com a Guarda Republicana, deixando
os mercenários em polvorosa. Eles achavam que os militares tinham a intenção de
substituí-los a longo prazo pelos soldados robóticos, e seu ressentimento era demonstrado
pela desobediência e negligência com o dever.

Um dos Guardiões que deveria servir junto com os mercenários matou
o comandante dos Mercenários Lâminas Caninas por causa de um erro de programação.
A Corporação Rekenber e a Guarda Republicana tentaram ocultar o incidente,
mas as notícia da morte do comandante dos Lâminas Caninas se espalhou rapidamente entre os mercenários.
Furiosos com a perda de seu líder e com a recusa da Rekenber em reconhecer que
um Guardião o matou, os Lâminas Caninas destruíram muitos dos robôs Guardiões
e desertaram da Guarda Republicana. Esse ato de retaliação se transformou em revolta total enquanto
as outras tropas mercenárias decidiram apoiar os Lâminas Caninas, opondo-se à Rekenber
e aos robôs Guardiões.

Os mercenários, agora um grande exército rebelde, avançaram em direção à sede da Rekenber,
pilhando algumas vilas no caminho. Embora os mercenários avançassem rapidamente,
a resposta da Corporação Rekenber à rebelião foi muito mais rápida: uma incrível e
enorme força de Guardiões e soldados de elite interceptou os mercenários e rapidamente
os dominou. As forças rebeldes foram forçadas a recuar, e invadiram a mansão do Doutor Varmunt,
um centro de pesquisa encastelado e armado com máquinas de segurança para deter intrusos,
na esperança de estabelecê-la como uma fortaleza contra as tropas da Rekenber.

Os Guardiões e as tropas de elite derrotaram os rebeldes imediatamente,
sitiando-os na mansão. Os rebeldes tentaram negociar um tratado de paz com
a República, mas a Rekenber recusou e anunciou sua intenção de
eliminar todos eles. Isso causou pânico entre os mercenários, que começaram a lutar entre si
em meio ao desespero. Os rebeldes que tentavam escapar da mansão protegidos pela
escuridão eram capturados e mortos pela tropa de elite. A maioria dos mercenários tentou
uma última ofensiva contra a tropa de elite e os Guardiões, mas foram esmagados
porque seus planos foram delatados por um traidor, que também abriu os portões da mansão para deixar que
as forças da Rekenber avançassem no campo rebelde. As forças da Rekenber mataram todos à volta,
destruíram toda a valiosa pesquisa do Doutor Varmunt e incendiaram sua mansão.
Supõe-se que o Doutor Varmunt também tenha morrido na batalha.

As conseqüências dessa batalha final são uma marca ruim para a Corporação Rekenber até hoje.
A opinião pública sobre a Rekenber e a República caiu, considerando que sua resposta à
Rebelião Mercenária foi excessivamente agressiva e que os detalhes sobre o levante
foram escondidos do público. Em resposta ao clamor do público pela verdade,
a República organizou rapidamente o Comitê de Investigação sobre a Rebelião Mercenária.
Isso se mostrou um mero embuste, já que o comitê era composto em sua maior parte por
pesquisadores do Laboratório Regenschirm e de inspetores da Guarda Republicana que
tinham interesse em adiar quaisquer esforços para investigar o ocorrido.
O público exigiu mudanças, e o governo foi forçado a remontar o comitê
com novos membros, imparciais.

O novo Comitê de Investigação da Rebelião Mercenária descobriu que
a Rekenber pressionou os militares a colocar robôs Guardiões nas tropas de elite,
chantageando líderes militares e políticos. Também foram encontradas provas de que
muitas relíquias mecânicas e obras de arte foram roubadas da mansão do Doutor Varmunt
durante o confronto final entre o exército mercenário e as forças da Rekenber.
A Rekenber e os líderes da República considerados responsáveis pelo massacre dos
mercenários na batalha foram punidos ou forçados a renunciar
de seus cargos: no caso mais grave, o Primeiro Ministro Doenir e seu gabinete renunciaram
dez meses antes do fim do mandato.